A GERAÇÃO Y E O DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA CRIATIVA

Andreza Cristina Both Casagrande Koga, Edson Trajano Vieira, Marilsa de Sá Rodrigues

Resumo


A Geração Y apresenta características diferenciadas das gerações anteriores, principalmente as relacionadas à tecnologia e à criatividade. Esta geração enfrenta, pela primeira vez, uma crise econômica, com redução de empregos e um mercado ainda mais competitivo. A economia criativa apresenta-se como uma porta de entrada ao mercado de trabalho formal, evitando a vulnerabilidade social a que estes jovens muitas vezes estão expostos. Diante deste cenário, este artigo tem como objetivo identificar de que maneira as habilidades da Geração Y podem contribuir para o desenvolvimento da economia criativa e mais especificamente, identificar se essas teorias se convergem e que contribuições mútuas podem ocorrer. Para isto, foi realizado um estudo bibliográfico exploratório e descritivo dos temas abordados. Observou-se que a Geração Y apresenta habilidades que vão de encontro àquelas necessárias ao desenvolvimento da economia criativa (familiaridade com as tecnologias, criatividade, proatividade, coragem ao expor suas ideias, flexibilidade no trabalho, entre outras), uma vez que a economia criativa é um campo em desenvolvimento e apresenta oportunidades desafiadoras, tendo a criatividade como seu principal fomento. Conclui-se que as habilidades e características da Geração Y podem contribuir para o desenvolvimento da economia criativa, visto que as duas teorias apresentam pontos de convergência. A economia criativa mostra-se como uma oportunidade de entrada no mercado de trabalho formal, frente aos desafios causados pela crise econômica e política atual, podendo ainda estimular o desenvolvimento regional.

Palavras-chave


Geração Y; Economia Criativa; Desenvolvimento Regional

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


LAJBM está indexada em:

   

 

ISSN: 2178-4833