Concentração do mercado de telefonia móvel: uma análise regional de 2006 a 2012

José Rubens Vieira Rodrigues, Priscila Casari, André da Cunha Bastos

Resumo


A estrutura do setor de telecomunicações no Brasil foi alterada de forma significativa na década de 1990, com a transição do monopólio estatal a um sistema de concessões regionais. Os primeiros anos da década de 2000 foram marcados pela expansão no número de linhas ativas e, principalmente, pela expansão do sistema de telefonia móvel. O objetivo deste artigo é analisar a concentração do mercado de telefonia móvel nas regiões brasileiras entre os anos de 2006 e 2012. Para tanto, são utilizados dados da Anatel sobre a participação de mercado de cada empresa e calculados a razão de concentração e o índice de Herfindahl-Hirschman para as regiões Norte, Nordeste, Sudeste, Sul e Centro-Oeste. Observou-se o aumento da concentração em duas regiões: Norte e Sudeste. Como a região Sudeste possui o maior número de usuários, os efeitos observados se refletem diretamente na concentração geral do país, que também subiu. O aumento dos índices de razão de concentração indicam o fortalecimento das quatro empresas líderes, através da extinção de marcas intermediárias, fusões com concorrentes e queda na participação de empresas menores. Com relação à análise do índice Herfindahl-Hirschman, observa-se uma tendência de redução da concentração nas regiões Nordeste, Sul e Centro-Oeste. Especificamente na região Sudeste, registrou-se um forte aumento, associado à absorção da Telemig pela Vivo. A incorporação de empresas com participação de mercado significativa traz preocupações sobre a competitividade do mercado de telefonia nos próximos anos.

Palavras-chave


Telecomunicações; Celulares; Concentração de mercado

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


LAJBM está indexada em:

   

 

ISSN: 2178-4833